• No products in the cart.
Finalizar Compra

Categoria: noticias

A NOSSA ADEGA NO OPEN DAYS SYNC PME

De 20 a 22 de fevereiro a Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito (ACVCA) integrou a iniciativa PME Connect – Open Days, promovida pela Deloitte, AIP, Casa da América Latina/UCCLA e Ordem dos Economistas, e que decorreu instalações da Casa da América Latina /UCCLA, em Lisboa.

Este evento contou com a participação de inúmeras grandes empresas portuguesas, respetivos dirigentes e profissionais de topo, num contexto de networking. Todos os oradores que passaram pelo palco durante os três dias do encontro, receberam uma garrafa de VIDIGUEIRA ANTÃO VAZ, acompanhada de um postal de apresentação da Adega.

A ACVCA teve seis dos seus vinhos de topo à prova no decorrer dos três dias do evento, e nessas sessões o emblemático VIDIGUEIRA ANTÃO VAZ, surpreendeu e extasiou, pela sua frescura e aroma frutado, todos os profissionais presentes. Já o VIDIGUEIRA RESERVA TINTO, degustado no final de cada um dos três dias de colóquios e apresentações, foi referido como «um vinho notável, onde a madeira está muito bem envolvida no vinho, que tem um toque final frutado».

No último dia a organização do evento fez questão de escolher o nosso VIDIGUEIRA LICOROSO como vinho generoso, para o brinde de encerramento destas jornadas. O Vidigueira d’Honra, com que todos brindaram ao sucesso das empresas portuguesas presentes, e da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, recebeu os aplausos dos mais de 200 participantes e assistentes a este evento.

 

A ADEGA RENOVA A IMAGEM DAS SUAS CAIXAS

A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito está a remodelar a imagem das suas caixas. Dando mais cor, e em alguns casos com imagem da garrafa.

Esta reestruturação visual permitirá ao consumidor identificar mais depressa o tipo de vinho que procura.

A ADEGA A PRESERVAR O AMBIENTE

Desde novembro de 2018 que a Adega iniciou o seu processo de instalação dos painéis fotovoltaicos.

Sendo o Alentejo uma região de muito sol, e a Adega defensora da proteção ambiental, esta instalação é um passo para a preservação dos nossos recursos naturais. Através do desenvolvimento sustentável irá reduzir substancialmente os impactos no ambiente.

A solução fornecida pela Enforce – Engenharia de Energia contempla a instalação de 1400 módulos fotovoltaicos de 270 Wp cada, e potência nominal de 378 Kw de potência pico. A UPP produzirá aproximadamente 666 MWh de energia elétrica por ano, resultando desse facto receitas brutas anuais entre os 60 e os 70 mil euros.

A ACVCA adquire também eficiência energética, pois a energia gerada com o sistema fotovoltaico a instalar, é injetada na sua totalidade na rede pública. Este projeto, no domínio da Eco-inovação e através da utilização de energias renováveis, mantém a Adega perfeitamente alinhada com a utilização eficiente dos recursos, reforçando o seu compromisso como membro do Plano de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo.

 

Os Americanos Ficaram Rendidos aos Nossos Vinhos

A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito esteve presente em Washington (EUA) com o Festival Terras Sem Sombra (FTSS), a apresentar o que de melhor existe no Alentejo em termos de vinhos.

Sendo o Vidigueira Espumante o produto do ano do FTSS, este produto da adega foi a companhia presente em todos os momentos desta visita, a começar pelas refeições, passando pelas provas de vinho, reforçando a voz dos cantadores e terminando nas reuniões.

A nossa Diretora de Marketing e Comunicação, Drª Daniela de Almeida, reuniu na Embaixada de Portugal em Washington com o Presidente Robert M. Tobiassen da Nacional Associacion of Beverage Importers Inc., uma das maiores associações de importadores dos EUA, que demonstrou um elevado interesse nos vinhos da Adega.

A Embaixada foi também palco de uma prova de vinhos onde os norte americanos, muitos portugueses ou luso-descendentes, ficaram rendidos aos vinhos da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito.

A Drª Daniela de Almeida refere que «Portugal foi, pela segunda vez galardoado pela Worlds Travel Awards como o melhor destino turístico do Mundo, isto depois de já ter sido destacado como melhor destino europeu. A nossa gastronomia é bem conhecida, e os nossos vinhos fazem parte da nossa identidade cultural. Por isto, não foi uma surpresa ver a sala repleta de luso descendentes e norte americanos verdadeiramente interessados nos nossos vinhos, e sobretudo na nossa casta Antão Vaz enaltecida quando se provou o Vidigueira Antão Vaz”.

Espumante Vidigueira – O Produto do Ano do Festival Terras Sem Sombra

A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito é, desde sempre, parceira do Festival Terras Sem Sombra (FTSS).

Ao longo destes anos a Adega tem levado ao FTSS os seus vinhos, as tradições da nossa região, e a cultura das nossas gentes.

No FTSS 2017 o nosso Vidigueira Antão Vaz foi o produto do ano. No ano seguinte o nosso Vila Alva Vinhas Centenárias ocupou essa distinção, levando assim, a todos os que seguem o FTSS, a conhecer um saber milenar, uma tradução ainda viva na nossa região.

Este ano o FTSS 2019 elegeu o Espumante Vidigueira D.O.C. Alentejo como o produto do ano. Feito maioritariamente com uvas da casta Antão Vaz, é um vinho que na boca é extremamente encorpado e fresco, com uma acidez bem marcada e um final longo e persistente. Marca a região pela distinção na casta Antão Vaz, uma casta portuguesa, alentejana e sobretudo da Vidigueira.

ENOTURISMO DA ADEGA AVANÇA A BOM RITMO

A Adega Cooperativa da Vidigueira, Cuba e Alvito não podia ficar indiferente ao Enoturismo, a moda que perpassa por todas as regiões vínicas do mundo. Por isso abraçámos também o projeto de criar nas nossas instalações uma nova estrutura direcionada para a prática e vivência do Enoturismo.

Afetámos uma área das nossas instalações a esse projeto, fazendo o aproveitamento de uma zona onde estava um antigo armazém. Nesse espaço irá funcionar uma Adega com Talhas, um WineBar, um pequeno auditório, sala de provas e um espaço para serviço de refeições. Tudo de uma forma articulada, já que o que realmente se deseja é que os visitantes possam conviver e descobrir, em primeiro lugar o funcionamento diário da Adega, no que diz respeito à produção de vinho e outras atividades, e em segundo lugar que usufruam deste espaço, e descubram e desfrutem dos vinhos por nós produzidos.

A intervenção enoturística e as obras que se iniciaram já há algum tempo, têm recebido a visita de várias entidades oficiais ligadas ao Turismo de Portugal. A mais importante foi sem dúvida a da Srª Secretária de Estado do Turismo, Dra. Ana Mendes Godinho, que durante a visita, considerou o projeto da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito «uma ideia espetacular, que valoriza o vinho de talha que é cada vez mais um ativo que queremos promover, e que passará a ser uma peça das rotas de Enoturismo fundamentais no Alentejo.

As obras decorrem ao ritmo previsto e de acordo com o calendário de execução, pelo que o Enoturismo da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, será inaugurado em 2019.

ACVCA: Prémios e mais prémios ganhos em 2018

Não é possível contar pelos dedos das mãos os prémios ganhos pela Adega, quer seja no âmbito nacional ou internacional

A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito esteve presente no 22° Grand Internacional Wine Awards, concurso do MundusVini 2018, onde o Vidigueira Grande Escolha Branco 2016 ganhou uma Medalha de Ouro.

No 14° CINVE 2018, o Vidigueira Alicante Bouschet 2015 recebeu uma Medalha de Ouro, e o Vidigueira Antão Vaz, o Vidigueira Grande Escolha 2016 e o Vidigueira Syrah 2015, receberam medalhas de Prata.

No 16° Concurso Internacional de Vinhos Bacchus 2018, o Vidigueira Antão Vaz e Vidigueira Syrah, receberam uma Medalha de Bronze.

Em eventos nacionais, a Adega participou no Wine Masters Challenge 2018, no Estoril, onde arrecadou nove medalhas. A Medalha de Ouro foi atribuída ao Vidigueira Signature Tinto 2016,  as Medalhas de Prata foram atribuídas ao Vidigueira Grande Escolha Branco 2016, Vidigueira Perrum 2016, Vidigueira Reserva Branco 2013, Vidigueira Antão Vaz 2017, Contemporal Reserva Tinto 2016, Vidigueira Reserva Tinto 2015, Vidigueira Grande Escolha Tinto 2015, Vidigueira Syrah 2015 e Vidigueira Alicante Bouschet 2015.

No concurso Uva de Ouro, realizado no Hotel Altis Belém, a Adega, foi distinguida com o prémio de Melhores Vinhos da Região, com os vinhos Vidigueira Premium Branco, Vila Ruiva Branco, Vila Ruiva Premium Branco, Contemporal Reserva Tinto.

No certame ViniPax, foi classificado em 1° lugar o Vidigueira Grande Escolha 2016, e no evento Grandes Escolhas, o Vidigueira 1498- Grande Reserva, foi premiado com uma Medalha de Ouro.

No VI concurso Melhores Vinhos do Alentejo 2018, a Adega, recebeu o Prémio de Excelência e uma Medalha de Ouro com o Vidigueira Grande Escolha Branco 2016.

Pode mesmo dizer-se que a Adega soma e segue….

Eletricidade «verde» no futuro da Adega

As centrais fotovoltaicas têm sido encaradas ultimamente como instrumentos de produção de energia limpa. Depois de estudos prévios efetuados, a nossa Adega decidiu aderir às tecnologias “limpas”, e assim vai ser instalada uma Unidade de Pequena de Produção, de um Sistema de Produção Fotovoltaica.

Esta decisão da ACVCA vai ter no futuro um forte impacto nos resultados financeiros diretamente relacionados com os custos de energia, dado que esta inovação permitirá progressos significativos na preservação do ambiente, e permitirá uma utilização mais eficiente e responsável dos recursos naturais.

A solução fornecida pela ENForce – Engenharia de Energia SA, contempla a instalação de painéis fotovoltaicos de 250 kW e potência nominal de 378 kW de potência pico. A central fotovoltaica produzirá aproximadamente 666 MWh de energia elétrica por ano, resultando desse facto poupanças brutas anuais entre os 60 e os 70 mil euros.

A ACVCA adquire também eficiência energética, pois a energia gerada com o sistema fotovoltaico a instalar, é injetada na sua totalidade na rede pública. Isto significa que em termos económicos, a nossa Adega, vai vender a energia gerada à rede pública, obtendo daí receitas, que lhe permitirão, amortizar o investimento, e nos anos seguintes obter receitas líquidas. Este projeto, no domínio da Eco-inovação e através da utilização de energias renováveis mantém a Adega perfeitamente alinhada com a utilização eficiente dos recursos, reforçando o nosso compromisso como membro do Plano de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo. A instalação decorre desde outubro e deverá terminar em fevereiro de 2019.

Questões ambientais na ordem do dia

A valorização dos subprodutos da vitivinicultura

A Adega Cooperativa da Vidigueira, Cuba e Alvito em parceria com a Câmara Municipal de Vidigueira, com o Instituto Politécnico de Beja e com a empresa Hidrozono, assinou um protocolo que aposta na compostagem de vários dos seus subprodutos industriais.

No final irá obter-se matéria para aumentar a fertilização dos solos agrícolas, pelo que neste projeto a Adega dá resposta a uma situação existente, pois em resultado da nossa atividade, produzimos muitas toneladas de subprodutos que podem ser mais bem valorizados.

Este projeto arrancou na época das vindimas de 2018, e os materiais resultantes do trabalho da nossa Adega, a que se juntaram as águas de lavagem, detritos diversos, etc. são objeto de um estudo-piloto de compostagem feito pela empresa Hidrozono, com o apoio dos laboratórios do IPB, que realiza análises e o necessário acompanhamento laboratorial.

Os produtos resultantes da atividade industrial da Adega, estão num processo de compostagem, sendo analisada e monitorizada a sua evolução. Na primavera serão feitos ensaios de germinação, para validar a utilização dos compostos resultantes, que depois enriqueceram os terrenos onde os nossos cooperadores têm as suas vinhas plantadas.

Adega lança o seu primeiro Vinho de Talha

Vila Alva – Vinhas Centenárias foi estrela em clima de grande festa

Adega de Vidigueira lança novidade

Uma vez mais a Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, inovou ao dedicar-se à produção de um vinho branco de Talha, o VILA ALVA – VINHAS CENTENÁRIAS feito exclusivamente a partir de uvas provenientes de Vinhas com mais de 100 anos, através do processo de vinificação utilizado pelos romanos, muito popular nesta região do Alentejo.

O Centro Cultural de Vila Alva, local escolhido, foi demasiado pequeno para receber as muitas centenas de pessoas que aí se deslocaram para assistir ao lançamento do VILA ALVA – VINHAS CENTENÁRIAS, numa prova de que a cultura, as tradições e o vinho de talha andam há muito de mãos dadas.

A cerimónia teve a presença dos presidentes da CVRA (Comissão Vitivinícola Regional Alentejana), engº Francisco Mateus, do presidente da Câmara Municipal de Cuba, dr. João Português, do presidente da Junta de Freguesia de Vila Alva, sr. José Pacheco, e naturalmente do Conselho de Administração da Adega, representado pelo engº José Miguel de Almeida, acompanhado pelo Presidente da Ass. Geral da ACVCA, enfº José Arvanas.

Na ocasião o presidente da ACVCA, engº José Miguel Almeida afirmou: «É na freguesia de Vila Alva no Concelho de Cuba que se encontram as vinhas mais antigas desta zona do país, muitas delas plantadas em datas anteriores a 1930. Vinhas muito antigas com produções reduzidas, mas cujos cachos têm uma refinada qualidade, que deram origem a um vinho de um nível único em Portugal.»
Num mesmo registo se ouviram palavras do eng Francisco Mateus ao enaltecer o esforço da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito na preservação destas vinhas, e no trabalho de acompanhamento dos agricultores seus proprietários: «São vinhas muito velhas que alguns desejam arrancar, e é muito meritório o trabalho desenvolvido pela Adega, para que isso não aconteça, pois é um património único que todos, incluindo também a CVRA, queremos preservar».

O Presidente da Câmara Municipal de Cuba, dr. João Português, afirmou que «Vila Alva pode hoje dizer que tem um vinho que a caracteriza, que a identifica e que há muito era esperado. O lançamento do VILA ALVA – VINHAS CENTENÁRIAS, pela Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, surge-nos como uma verdadeira homenagem à sabedoria de todos aqueles que durante gerações souberam passar a tradição e o conhecimento na produção de vinho de talha.»

José Pacheco, Presidente da Junta de Freguesia de Vila Alva, realçou este lançamento dizendo: «É com enorme satisfação que os agricultores de Vila Alva encararam a criação deste vinho. Vila Alva tem uma tradição muito vincada na produção de vinho de talha, que merece e deve ser preservada. Este é um momento de muito orgulho para a freguesia e para todos os vilalvenses».

Durante a cerimónia o enfº José Arvanas, Presidente da Ass. Geral da ACVCA, afirmou que «Esta iniciativa da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, tem como objetivo conservar o património vitícola desta região. É um património que tem vindo a extinguir, e por termos ainda associados com vinhas com estas características, queremos preservá-las, para que se mantenham por muitos e bons anos.»

O engº Luis Morgado Leão, enólogo da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito diz que «o Vila Alva foi feito a partir de uvas de vinhas centenárias, que produzem cachos mais concentrados, complexos em aromas e sabores. É por isso que o Vila Alva é um vinho único, intenso e cheio de personalidade. Produzimos nas nossas talhas um vinho totalmente diferente daqueles que a Adega produz regularmente.»

Em paralelo ao lançamento, a Adega Cooperativa de Vidigueira Cuba e Alvito esteve também envolvida no Festival Terras Sem Sombra, cujo primeiro concerto de 2018 teve lugar na Igreja de S. Cucufate em Vila de Frades.

«Como patrocinadores do Festival, assumimos que as manifestações culturais no nosso Concelho ajudam a dar visibilidade e expressão ao trabalho desenvolvido pela Adega, que assim pode levar a excelência dos seus vinhos neste caso à Hungria, país convidado na edição deste ano do Festival», como referiu a drª Daniela de Almeida, diretora de Marketing e Comunicação da ACVCA.

Um dos pontos altos deste evento acabou por ser uma visita temática efetuada às vinhas centenárias, onde no meio do grande entusiasmo e participação dos presentes, entre os quais se encontrava a embaixadora da Hungria, o engº José Miguel Almeida explicou com bastante detalhe, as grandes diferenças entre as vinhas atuais e as que deram origem ao vinho VILA ALVA – VINHAS CENTENÁRIAS, realçando a excelência e riqueza das castas que estiveram na origem do vinho.

O Convento das Relíquias onde Dom Vasco da Gama foi sepultado, foi também objeto de visita detalhada, conduzida pelos proprietários e pelo prof. José António Falcão, organizador do Festival Terras Sem Sombra.

Sobre a Adega Cooperativa de Vidigueira Cuba e Alvito
A Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito foi fundada em 1960 e iniciou a sua atividade em 1963, mas a sua cronologia vai muito para além dos seus 58 anos de existência.

As suas raízes entrelaçam-se com a história da própria vila, e com Vasco da Gama – o Conde de Vidigueira, a quem D. Jaime, Duque de Bragança cedeu a vila em 1519. Assim surgiram as primeiras ligações da Vidigueira com a família dos Gama.

Mais de meio século depois de ser fundada, a Adega pretende cumprir a promessa de descoberta e afirmação da região da Vidigueira tão vincada pela cultura do vinho, numa viagem que aproxima a Adega e a sua vila a Vasco da Gama e a conquistas de outros tempos.
Como homenagem a Dom Vasco da Gama, os vinhos da Adega de Vidigueira contam uma história dividida em sete atos, e mais alguns, que nos prometem fazer a viagem para novos territórios sensoriais.

Scroll to top